‘Eficiência não é um palavrão’: porque é que maior às vezes pode significar melhor na agricultura


O conceito de eficiência e produtividade na agricultura é frequentemente associado a um bem-estar animal e uma sustentabilidade reduzidos, mas não é necessariamente o caso e deve ser realizado mais trabalho para mudar essa perceção, destacaram as partes interessadas durante um evento recente sobre bem-estar animal.

Tendo como pano de fundo um foco cada vez maior no bem-estar animal na UE, o evento, organizado pela associação de medicamentos para animais AnimalHealthEurope, examinou mais de perto o futuro do setor pecuário, à medida que a UE elabora o seu plano para concretizar o Acordo Verde da UE.

O bem-estar animal está definido como central nas prioridades de formulação de políticas nos próximos meses, sendo o principal foco da política alimentar da UE, a estratégia Farm to Fork (F2F), e um tema-chave da presidência alemã da UE.

Mas as partes interessadas rapidamente enfatizaram que não existe um único exemplo de sistema de agricultura sustentável.

“Não acho que devemos seguir este debate a preto e branco – menor significa mais verde e mais sustentável”, enfatizou Norbert Lins, presidente do Comité de Agricultura do Parlamento Europeu.

“Depende do método, depende do uso de tecnologias e todas estas coisas são mais importantes do que a questão do quão grande ou quão pequena é a exploração.”

O consultor de sustentabilidade de pecuária Jude Capper alertou também contra a simplificação excessiva da discussão.

Com base na sua experiência de trabalho em explorações de todas as formas e tamanhos, Capper considera existir muitas vezes um idealismo sobre a pecuária que nem sempre reflete os melhores interesses dos animais, mas exerce uma forte influência na nossa abordagem de futuro.

“Muitas vezes vemos que existe uma dicotomia real ou percebida entre eficiência, produtividade e saúde animal e bem-estar. Nós realmente temos que trabalhar mais para preencher essa lacuna e entender o comportamento animal, bem-estar animal, saúde animal, produtividade e ver onde podemos melhorar todas essas métricas simultaneamente”, afirmou.

“A eficiência tornou-se uma palavra mal aceite por um lado, temos essa imagem de contos de fadas de explorações verdes e orgânicas e, por outro lado, temos a eficiência como algo mau, associada a um bem-estar precário, mas temos de ajudar as pessoas a entender que este não é necessariamente o caso”, referiu Capper à EURACTIV após o evento.

E acrescentou que há um “grande corpo de investigação” que demonstra que melhorar a produtividade e a eficiência também pode melhorar a sustentabilidade, tanto do ponto de vista ambiental como económico.

.

Tweet: https://twitter.com/animalhealthEU/status/1308398140429684738?s=20

#SaúdeAnimalImporta em todas as explorações.

“Temos de ajudar as pessoas a separar o rótulo daquilo que é uma exploração e do que tem a ver com o quão produtiva, eficiente e amiga da saúde dos animais e do bem-estar pode ser.”

.

Notícia original:

‘Efficiency not a dirty word’: why bigger can sometimes mean better in farming

——————————-

Membros da

Política de Privacidade
Todos os direitos Reservados @ APIFVET 2018