Acesso a mais e melhores dados é fundamental para o fornecimento de elevados padrões de bem-estar animal e produção sustentável de alimentos


Uma abordagem abrangente de “Uma Só Saúde” para a criação de animais reconhece que a saúde animal, humana e ambiental são interdependentes, relatam Brian Johnson e Ana Gallego.

Acesso a mais e melhores dados, bem como treino para agricultores para o uso de tecnologias digitais, será a chave para fornecer elevados padrões de bem-estar animal e produção sustentável de alimentos.

Esta foi uma das principais mensagens de um recente webinar sobre o futuro do setor pecuário europeu, organizado pela revista The Parliament e pela AnimalhealthEurope.

A abrir a discussão, a 9 de setembro, a Secretária-Geral da AnimalhealthEurope, Roxane Feller, “deu as boas-vindas à oportunidade que o evento online – o primeiro da organização – proporcionou, para discutir questões políticas de alto nível, como as estratégias ‘Farm to Fork’ (do Prado ao Prato) e ‘One Health’(Uma Só Saúde ), através da lente do setor de saúde animal”.

Os quase 500 participantes registados demonstram, segundo Roxane Feller, o profundo interesse no futuro do setor pecuário da Europa e uma compreensão de quais as medidas de sustentabilidade vão envolver a saúde e bem-estar animal na produção animal.

O jornalista moderador Dave Keating, que tem base em Bruxelas, disse aos participantes que o webinar – intitulado ‘Menor, mais verde … mais saudável? A pecuária na Europa: como é a sustentabilidade? ‘- veio num momento essencial, após “duas importantes políticas que surgiram no ano passado, o Acordo Verde e a Estratégia ‘Farm to Fork’”.

“O facto de epidemias recentes, de Ebola, SARS, ao vírus do Nilo serem zoonóticas tem implicações importantes nas nossas práticas agrícolas. Mostra também, mais do que nunca, que a saúde animal é importante.”

Comissária Europeia para a Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides

Numa mensagem em vídeo especialmente gravada para o efeito, a Comissária Europeia para a Saúde e Segurança Alimentar, Stella Kyriakides, disse que a pandemia de COVID-19 destacou a importância de uma abordagem multissetorial “One Health”; aquela que reconhece que a saúde animal, humana e ambiental são interdependentes.

“O facto de epidemias recentes, de Ebola, SARS, ao vírus do Nilo serem zoonóticas tem implicações importantes nas nossas práticas agrícolas. Mostra também, mais do que nunca, que a saúde animal é importante. Esses surtos aumentam a consciencialização sobre as ligações entre a nossa própria saúde e a saúde dos nossos ecossistemas.”

Kyriakides acrescentou que as novas Estratégias de Biodiversidade e ‘Farm to Fork’ foram definidas para fornecer ferramentas e metas para lidar com os desequilíbrios atuais e promover uma abordagem mais virada para a prevenção da saúde animal.

“Uma das lições aprendidas com a crise em curso é que os sistemas de vigilância sanitária animal desempenham um papel importante na previsão, deteção e contenção dos surtos. Isso deve ser cada vez mais integrado nos sistemas de vigilância da saúde humana.”

A Comissária disse estar “encantada” por saber como os membros da AnimalhealthEurope têm estado ativos em vacinas, ferramentas de diagnóstico e monitorização digital, medidas de biossegurança e métodos inovadores de alimentação e alojamento. “Também é claro que os cidadãos da UE se preocupam com o bem-estar animal; que sublinha a importância da saúde animal como um requisito prévio para o bem-estar animal.”

“Precisamos de ciência, precisamos de investigação e precisamos de saber o que acontecerá com o setor de alimentos da Europa quando se trata de implementar a Estratégia ‘Farm to Fork’ e a Estratégia de Biodiversidade”

Presidente do Comité de Agricultura e Desenvolvimento Rural do Parlamento Europeu, Norbert Lins

O eurodeputado alemão de centro-direita Norbert Lins deu início ao debate com um discurso que esboçou o papel da saúde animal no contexto do Acordo Verde e da Estratégia ‘Farm to Fork’.

Lins, presidente do influente Comité de Agricultura e Desenvolvimento Rural (AGRI) do Parlamento Europeu, reiterou que um dos principais aspetos da Estratégia ‘Farm to Fork’ é tornar o setor pecuário mais sustentável e melhorar o bem-estar e a saúde dos animais.

“O ‘Farm to Fork’ deve promover os métodos mais sustentáveis de produção de gado e com eficiência de carbono. Isso não significa que eu apoie qualquer coisa ou pessoa que queira acabar com a pecuária, a produção ou o consumo de carne na Europa.”

“Sim, precisamos de encontrar soluções inovadoras, e sim, precisamos de ser mais sustentáveis, mas isso precisa de soluções viáveis ​​para o setor da pecuária.”

“Aqueles de nós que trabalham na indústria de saúde animal acreditam que o futuro é uma abordagem holística da criação de animais, totalmente alinhada com a abordagem de saúde única”

Julie Vermooten, presidente do Comité de Gestão da AnimalhealthEurope

Abrindo um painel de discussão sobre como poderia ser a sustentabilidade no setor pecuário da Europa, a presidente do Comité de Gestão da AnimalhealthEurope, Julie Vermooten, disse: “Se estamos realmente preocupados com a saúde humana, devemos estar igualmente preocupados com a importância da saúde animal.”

“Aqueles de nós que trabalham na indústria de saúde animal acreditam que o futuro é uma abordagem holística da pecuária, totalmente alinhada com a Abordagem de ‘One Health’, conforme destacado pelo Comissário Kyriakides.”

A Abordagem de ‘One Health’, sugeriu Vermooten, tornaria o envolvimento entre humanos, animais de produção e o meio ambiente mais equilibrado e gratificante.

“Nenhum sistema de cultivo pode atualmente fornecer todos os três pilares da sustentabilidade (economia, sociedade e meio ambiente). No entanto, a nossa indústria acredita que as visitas veterinárias regulares, uma gestão de saúde animal de qualidade e a vacinação preventiva, quando possível, podem levar-nos lá.”

Esta abordagem, combinada com medidas eficazes de biossegurança, habitação e nutrição adequadas, treino em novas técnicas e outras medidas, poderia, argumentou Vermooten, fornecer uma “abordagem abrangente” para a criação de animais.

“Os agricultores precisam de saber e compreender como a saúde dos seus rebanhos afeta a pegada ambiental e a economia da sua exploração. Mas eles não podem fazer alterações se não tiverem os dados e as informações para o apoiar”

Consultor de Sustentabilidade Pecuária Jude Capper

O consultor de sustentabilidade de pecuária, Jude Capper, concordou que não havia uma solução “tamanho único” para fornecer sustentabilidade e argumentou que “muitas vezes vemos que existe uma dicotomia real ou percebida entre eficiência e produtividade e saúde e bem-estar animal”.

“Nós realmente temos que trabalhar mais no duro para preencher essa lacuna e entender o comportamento animal, bem-estar animal, saúde animal e produtividade, e ver onde podemos melhorar todas essas métricas simultaneamente.”

Os dados, sugeriu, seriam um fator crucial para impulsionar a mudança para um ambiente mais sustentável. “Os agricultores precisam de saber e compreender como a saúde dos seus rebanhos afeta a pegada ambiental e a economia da sua exploração. Mas eles não podem fazer alterações se não tiverem os dados e as informações para o apoiar.”

Capper disse que o setor de pecuária precisa de adotar a tecnologia mais recente para melhorar a saúde animal, tanto para o tratamento de prevenção direta de doenças, como para otimizar a gestão ambiental e nutricional. “Temos que fazer isso de forma holística, não apenas na exploração, mas em toda a cadeia, para que os agricultores, veterinários, a indústria de saúde animal, vendedores e processadores estejam todos envolvidos na concretização dessas mudanças.”

“Eu acho que a AnimalhealthEurope pode desempenhar um papel importante, não apenas para alcançar um setor alimentar de saúde única, mas também sustentável, porque não pode haver sistema alimentar sustentável sem produção animal”

Kurt Sannen da IFOAM Organics Europe

Kurt Sannen da IFOAM Organics Europe, que fez a transição da agricultura convencional para a orgânica, sugeriu que “o que aconteceu na minha exploração pode ser inspirador para a transição de que precisamos a nível europeu”.

Sannen destacou a forma como as regras e subsídios da Política Agrícola Comum podem impactar diretamente a forma “como evoluímos enquanto agricultores” e disse que a estratégia ‘Farm to Fork’ fornece orientações claras sobre como tornar a agricultura europeia mais sustentável.

Ele argumentou que a Europa deveria investir mais em métodos de agricultura orgânica e em melhores investigações sobre agricultura orgânica. para melhorar a produtividade. “Acho que podemos ser mais produtivos, mas a questão não é se precisamos de produzir mais; não é uma questão de ‘eficiência’, mas sim de ‘suficiência’. Podemos produzir o que precisamos de forma sustentável na Europa?”

Martin Scholten, Diretor de Ciências Animais da Universidade de Wageningen, na Holanda, disse aos participantes que o gado sustentável e o gado saudável são essencialmente duas faces da mesma moeda.

“Não há gado sustentável quando não se preocupam com a saúde dos animais e vice-versa”, disse ele, acrescentando: “Acho que realmente precisamos de uma abordagem inteligente e equilibrada com transformação, transição e redução”.

“Precisamos de um setor alimentar diversificado, precisamos de um setor pecuário diversificado, então provavelmente o setor pecuário do futuro será muito diferente do setor que temos agora”

Martin Scholten, Diretor de Ciências Animais da Universidade de Wageningen

A sustentabilidade, argumentou, está relacionada com a diversidade. “Precisamos de um setor alimentar diversificado, precisamos de um setor pecuário diversificado, então provavelmente o setor pecuário do futuro será muito diferente do setor pecuário que temos agora.”

Então, qual seria o papel da saúde animal neste novo mundo? Scholten disse que, no futuro, o gado precisará de se tornar mais resistente. “Mas isso requer uma situação preventiva de saúde animal.”

“A questão não é se precisamos de produzir mais; não é uma questão de ‘eficiência’, mas sim de ‘suficiência’. Podemos produzir o que precisamos de uma forma sustentável na Europa?”

Concluindo uma discussão animada, que viu muitas áreas de acordo entre os oradores, Vermooten enfatizou o papel importante que os dados e a tecnologia digital irão desempenhar na sustentabilidade e apelou à criação de uma plataforma de partes interessadas para a digitalização na agricultura – bem como a formação para agricultores sobre como aproveitar este potencial ao máximo.

Lins disse que a discussão forneceu “muito alimento para reflexão” para os formuladores de políticas da UE e seus colegas no Comité AGRI, enquanto trabalham na legislação sobre as estratégias ‘Farm to Fork’ e Biodiversidade.

“A saúde animal é uma condição prévia para um bom bem-estar animal e para a produção alimentar sustentável. Cabe a nós, como indústria de saúde animal, fornecer as ferramentas para isso, incluindo o acesso aos dados, e cabe à UE garantir que os agricultores recebem formação sobre como usar essas ferramentas e os dados para otimizar a saúde animal”

Secretário-Geral da AnimalhealthEurope Roxane Feller

Lins repetiu as opiniões de muitos membros do painel sobre a necessidade de mais investigação e dados, dizendo: “Acho que é certo que solicitemos avaliações de impacto adequadas no que diz respeito a essas estratégias. Precisamos de ciência, precisamos de investigação e precisamos de saber o que acontecerá com o setor de alimentos da Europa quando se trata de implementar a Estratégia de ‘Farm to Fork’ e a Estratégia de Biodiversidade. ”

Concluindo, Roxanne Feller disse: “A saúde animal é uma pré-condição para um bom bem-estar animal e para a produção sustentável de alimentos. Cabe a nós, enquanto indústria de saúde animal, fornecer as ferramentas para isso, incluindo acesso a dados, e cabe à UE garantir que os agricultores recebem formação sobre como usar essas ferramentas e os dados para otimizar a gestão da saúde animal.”

Tweet: https://twitter.com/animalhealthEU/status/1308000578933526530?s=20

.

“#AnimalHealth é uma pré-condição para o bem-estar animal e produção sustentável de alimentos. Depende de nós fornecer as ferramentas para isso e da UE garantir que os #agricultores recebam formação sobre como usar essas ferramentas para otimizar a gestão da saúde animal”

.

Notícia original:

Access to more and better data key to delivering high standards of animal welfare and sustainable food production

—————————-

Membros da

Política de Privacidade
Todos os direitos Reservados @ APIFVET 2018